A busca pela eficiência no setor de logística gera a necessidade de que novas estratégias sejam desenvolvidas para assegurar o melhor funcionamento possível. Nesse contexto, o picking possibilita otimizações capazes de reduzir os gastos e o tempo, aumentando a produtividade de toda a sua equipe.

Sem embargo, o picking tem sido responsável por contribuir para que empresas de todos os segmentos diminuam seus custos, obtenham melhores resultados e, assim, elevem de patamar junto ao mercado.

Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo, o conceito de picking e de que forma você poderá adotá-lo na logística e na separação de produtos. Boa leitura!

Entenda o que é picking

O termo inglês picking (também é possível encontrar o mesmo sentido semântico na expressão “order picking”) refere-se aos processos de coletar encomendas no estoque ou armazém de uma empresa. Em nossa língua, essa etapa pode, também, ser chamada de montagem de pedidos, separação ou processo de preparação.

Tal processo consiste nas leituras (digitais ou mecânicas) de cada item de um determinado pedido, sendo seguido pela coleta, em quantidades específicas, de artigos que correspondam ao que foi requisitado pelo cliente.

Trata-se de um processo elementar que pode (ou não) utilizar o suporte da tecnologia para a redução do tempo dedicado para a realização da tarefa ou para a sua automação. Esse apoio, obviamente, pode fazer uma grande diferença em termos de eficiência.

Saiba o que pode ocorrer ao não realizar esse procedimento

Sem a utilização do sistema de picking para a separação de pedidos, você pode ter produtos entregues com atraso, devido à demora em coletá-los ou à coleta das mercadorias erradas para o envio.

Conheça 4 tipos de picking

Há, na logística, diferentes modalidades de picking, cada qual com estratégias próprias e voltadas a atender às demandas dos clientes. Esse serviço funciona em 4 etapas principais: documentação do processo, movimentação, coleta e localização do produto. Existem, portanto, quatro tipos de picking!

1. Picking por pedido (ou discreto)

No picking discreto, apenas um funcionário começa e termina a operação, responsabilizando-se pela coleta de um item por vez e a administração de um pedido a cada vez. Tal modalidade reduz consideravelmente as chances de erros, à medida que há somente um documento relativo à ordem de separação de produtos.

2. Picking por área

Nesta modalidade, os operadores são divididos por zonas, ou seja, áreas de um armazém onde serão coletados os pedidos. Cada área tem determinadas categorias de produto.

Uma vez que cada funcionário é relacionado a uma dessas áreas, quando os pedidos chegam ao estoque, os itens necessários são separados e a ordem é devidamente fechada após a finalização das coletas.

3. Picking por lote

No picking por lote, os colaboradores aguardam o acúmulo de pedidos que, ao atingirem certa quantidade, indicam o início da coleta. Ao fazer a coleta, os operadores recolhem a soma das quantidades levantadas de cada produto, imprescindíveis para efetuar a distribuição.

4. Picking por onda

Aqui, cada operador é responsável por coletar um tipo de produto a cada vez. Esse procedimento é realizado mediante agendamento, isto é, em certos períodos de turno, visando atender os prazos acordados com os clientes.

Cumpre ressaltar, por fim, que o picking viabiliza o recebimento de produtos selecionados precisamente, segundo suas especificações e necessidades. Isso ocorre devido aos altos níveis exigidos e proporcionados pelo sistema.

Quando adequadamente administrado e planejado, o picking ajuda na otimização e na liberação dos itens, bem como reduzir o tempo necessário para o aprovisionamento dos pedidos. Isso, em suma, fomenta a diminuição de custos com armazenamento e dos prazos oferecidos aos clientes.

Se você gostou do artigo, siga-nos nas redes sociais e não perca mais nenhum conteúdo acerca das melhores soluções para a sua empresa. Estamos no Facebook, LinkedIn e YouTube!